1º Grupo de Transporte de Tropa! Virtual

Rules

1º GRUPO DE TRANSPORTE DE TROPA! VIRTUAL

MANUAL OPERACIONAL

Criação: 20 de Agosto de 2000

Revisão: 02 de Maio de 2017

7ª Edição

 

CAPÍTULO I

Considerações Iniciais

 

Art. 1 - Bem vindo ao 1º Grupo de Transporte de Tropa Virtual. Somos um esquadrão virtual moderno, eficiente, com objetivos claros e prontos para oferecer o que de melhor existe na aviação de transporte virtual.

Art. 2 - Somos um esquadrão sem fins lucrativo voltado apenas ao entretenimento e amantes da aviacão de transporte virtual utilizando o Microsoft Flight Simulator X e/ou Lockheed Martin's Prepar3D®.

Art. 3 - Não possuimos vínculo com a Forca Aérea Brasileira e com o esquadrão real (1º Grupo de Transporte de Tropa) sediado atualmente na Base Aérea do Galeão.

Art. 4 - Buscamos através de simuladores de vôo o aperfeicoamento de nossos pilotos virtuais, com realismo e padrões de vôo utilizados no esquadrao real em missões de transporte aerologistico, transporte aeroterrestre, missões SAR (Busca e Salvamento), missões REVO (Reabastecimento em Vôo) e outras missões militares e apoio. Estaremos proporcionando uma maior expectativa às simulações de vôos e as tornando ainda mais interessantes.

Art. 5 - O Primeiro Grupo de Transporte de Tropa (1º GTT), foi criado pelo Decreto Nº 43.089 de 22 de janeiro de 1958, sediado na Base Aérea dos Afonsos, no Rio de Janeiro e subordinado à Quinta Força Aérea (V FAe). O Primeiro Esquadrão do Primeiro Grupo de Transporte de Tropa (1º/1º GTT - Esquadrão Coral) foi ativado em 07 de fevereiro do mesmo ano. O Segundo Esquadrão do Primeiro Grupo de Transporte de Tropa (2º/1º GTT - Esquadrão Cascavel) foi ativado em 01 de novembro de 1961 pela Portaria S-67/GM3.

Art. 6 - O Primeiro Grupo de Transporte de Tropa Virtual (1º GTT Virtual) foi criado pelo então Leandro Rodrigues em 01 de agosto de 2000, operando as aeronaves C-115 Búfalo no esquadrão Coral (1º/1º GTT Virtual) e o C-130 Hercules no esquadrão Cascavel (2º/1º GTT Virtual), utilizando então o Microsoft Flight Simulator 2000, mantendo suas atividades virtuais ate os dias atuais.

Art. 7 - Queremos que todos os integrantes do 1º GTT Virtual desenvolvam suas aptidões na pilotagem no C-130 Hercules e aprendam mais sobre à aviacão de transporte.

Art. 8 - O pronunciamento em nome do 1º GTT Virtual é de responsabilidade e poder de um dos membros do Conselho Operacional que veremos no Art.38.

Art. 9 - O 1º GTT Virtual mantém um canal no youtube para a divulgacão de material de instrucão e publicidade: Canal Youtube

Art. 10 - Estude, pergunte, teste, voe. Em caso de dúvidas ou algum esclarecimento entre em contato conosco, pois teremos o maior prazer em ajuda-lo. Participe!! Venham fazer parte da família Coral e Cascavel. LANCAR!  SUPRIR!  RESGATAR!  GTT.

 

CAPÍTULO II

Processo Seletivo

 

Art. 11 - Possuir ao menos 14 anos completos na data da Admissão.

Art. 12 - Possuir um computador que suporte no mínimo o FSX.

Art. 13 - Possuir o Microsoft Flight Simulator X e/ou Lockheed Martin's Prepar3D®.

Art. 14 - Possuir o C-130 Hercules da Captain Sim (Aeronave paga)

Art. 15 - Possuir Joystick do tipo Manche.

Art. 16 - Possuir Microfone ou Headset.

Art. 17 - Possuir internet acima de 2MB (megabyte) para utilização de nossos sistemas.

Art. 18 - Possuir noções básicas de vôo no Microsoft Flight Simulator ou similar.

Art. 19 - Possuir ID ativo na IVAO e/ou VATSIM.

Art. 20 - Ter disposição em aprender e a ensinar.

Art. 21 - Ter conhecimento total do Manual Operacional que você esta lendo neste momento.

Art. 22 - Ter bom comportamento.

Art. 23 - Não deixar suas dúvidas sem esclarecimento. Pergunte! Utilize o fórum ativamente.

Art. 24 - Ter disponibilidade para voar ao menos dois vôos em rota a cada 30 dias.

 

CAPÍTULO III

Piloto Efetivo

 

Art. 25 - O ingresso ao esquadrão (1º GTT Virtual) será feito através de III fases:

            I – Através do cadastro em nosso Fórum dos Ofídios realizar uma apresentação ao Esquadrão e cumprindo os requisitos mínimos no Capítulo II – Processo Seletivo.

            II – Caso haja vaga disponível para o processo seletivo, a solicitação de ingresso será encaminhado ao Oficial de Pessoal que por sua vez chamará o candidato para uma breve entrevista a ser realizada TeamSpeak ou outro programa a definir.

            III – Após aprovação do Oficial de Pessoal, o candidato terá uma matrícula no esquadrão designada como GTTXXX, sendo XXX o número de registro do piloto. Nesta fase o candidato se tornará Piloto Aluno e ativo no QTv (Quadro de Tripulante Virtual) na patente de Cadete ou superior conforme aprovação do Conselho Operacional.

 

 

CAPÍTULO IV

Programas e Sistemas utilizados no 1º GTT Virtual

 

Art. 26 - Simuladores e aeronaves utilizados pelo 1º GTT Virtual

            I - Microsoft Flight Simulator X

            II - Lockheed Martin's Prepar3D®

            III - C-130 Hercules Captain Sim

Art. 27 - Sistemas utilizados pelo 1º GTT Virtual          

            I - IVAO - (International Virtual Aviation Organization), é uma organização sem fins lucrativos que opera uma rede de simulações de vôo online. Os pilotos interagem com outros pilotos e controladores em um ambiente multiplayer utilizando procedimentos, fraseologia e técnicas iguais às utilizadas no mundo real.

            II - VATSIM  - (Virtual Air Traffic Simulation Network), é uma organização sem fins lucrativos que opera uma rede de simulações de vôo online. Os pilotos interagem com outros pilotos e controladores em um ambiente multiplayer utilizando procedimentos, fraseologia e técnicas iguais às utilizadas no mundo real.

Art. 28 - VAM / SIMAcars

            I - A partir de 01 de maio de 2017 disponibilizamos o sistema VAM (Virtual Airlines Maneger para registro de vôos através do SIMACARS. O Sistema VAM é uma criação de Alejandro, distribuído sob licença Creative Commons.

            II - O SIMACARS recebe direto do simulador: Aeronave, Distância, Tempo de Vôo, Partida, Chegada, ZFW, Combustível, etc. Esse sistema grava todos os parâmetros do vôo necessários ao esquadrão e também providencia o envio e atualização das horas voadas pelo piloto. Não serão aceitos outros programas ou métodos para reporte de vôos senão os logs produzidos e enviados ao 1º GTT Virtual (e-mail ou fórum) apenas através do sistema SIMACARS.

            III - O SIMACARS faz análise de pouso, ventos, proa, toque (VS/IAS/G), pitch, Flap e Luzes. Grava a posição da aeronave a cada minuto, possibilitando verificar o cumprimento da missão e seus procedimentos, como SID/STAR/TRANSITION. Também grava falhas do piloto, como: Crash, Pause, Rate de Simulação, Overspeed, Stall, Erro na operação das luzes da aeronave, Excesso de velocidade no táxi e abaixo de 10000ft, Reabastecimento em voo, Pouso em aeródromo diferente do plano. É proibido esta ação e os logs de vôo poderão não ser computados.

            IV - O SIMACARS utiliza pontuação inicial de 100%. A cada limite  excedido de acordo com o SIMACARS é retirado determinada pontuação, O Log de vôo passa por uma análise do Oficial de Inteligência onde será revisado e liberado para caderneta individual de vôo, caso atenda as exigências mínimas requeridas pela missão.

            V - A revalidação do log poderá ser solicitada pelo piloto quando o mesmo não concorde com os critérios adotados pelo Oficial de Inteligência. Ao solicitar a revalidação do log, automaticamente o mesmo retorna para o sistema para que o Oficial de Operações verifique o ocorrido.

Art. 29 - Teamspeak - Utilizamos como meio de comunicação e treinamento o software Teamspeak, que proporciona aos pilotos acesso a salas de bate papo, vôos online e instruções ao vivo com os membros do esquadrão.

Art. 30 - Fórum dos Ofídios - Existem REGRAS que devem ser observadas em nosso fórum.

                                                                       

CAPÍTULO V

Organograma

 

Art. 31 - Comandante - Tem como principal função coordenar os setores fins manter o alinhamento e objetivos propostos pelo Manual Operacional do Esquadrão. É um integrante participante em todos os setores do esquadrão.

Art. 32 - Oficial de Operações - Focado no desempenho Operacional dos pilotos, visa estabelecer metas mensais e diagnósticos do andamento mensal do Esquadrão. Também e o responsável pela estrutura da malha aérea, operações e manobras. Exerce a função de Sub-Comandante.

Art. 33 - Oficial de Pessoal - Focado no controle de pessoal e processo de alistamento, desenvolvendo atrativos e incentivos através de eventos, fazendo que o piloto sinta o prazer de conhecer novos lugares. Também o responsável por manter o bem estar do esquadrão, e a manutenção do código disciplinar e dos documentos informativos (NOTAM).

Art. 34 - Oficial de Instrução - Responsável por organizar e aplicar as OI (Ordem de Instrução) dos pilotos do Esquadrão. Responsável por manter a escala semanal de PI (Piloto Instrutor) para desempenhar as instruções aos PA (Pilotos Alunos) e/ou PO (Piloto Operacional)

Art. 35 - Oficial de Manutenção - Responsável pela manutenção das aeronaves, novidades para o esquadrão e trabalha em conjunto com o Oficial de Inteligência.

Art. 36 - Oficial de Inteligência - Responsável pela Tecnologia e Informação do Esquadrão, mantendo os sistemas sempre ativos (web site, fórum, redes sociais) e análise / aprovação dos vôos no sistema VAM/ACARS.

Art. 37 - Pilotos Efetivo - Serão considerados Pilotos do QTv (Quadro de Tripulantes Virtuais) todos os pilotos ativos do Esquadrão. Os pilotos poderão ser designados para um dos Setores (Operacoes, Pessoal, Instrução, Manutenção e Inteligência).

Art. 38 - Conselho Operacional - Fazem parte do Conselho Operacional o Comandante, Oficial de Operações, Oficial de Pessoal, Oficial de Instrução, Oficial de Manutenção e o Oficial de Inteligência. Deverão realizar reuniões mensais e cumprir de forma satisfatória as tarefas que lhe foram designadas.

 

CAPÍTULO VI

Plano de Carreira

 

Art. 39 - PA – Piloto Aluno C-130 – For aprovado no exame de admissão do Esquadrão e adquiriu o direito de ingresso ao 1º GTT Virtual. Período  para leitura de manuais e instrução básica na aeronave C-130 Hercules, participação ativa no fórum, objetivando sua adaptação no Esquadrão.

Art. 40 - A operacionalidade na aeronave C-130 Hercules serão as seguintes:

            I – P.A. – Piloto Aluno.

            II – P.B. – Piloto Básico.

            III – PO TAL – Piloto Operacional TAL (Transporte Aéreo Logístico).

            IV – PO TAET – Piloto Operacional TAET (Transporte Aéreo Terrestre)

            V – PO SAR – Piloto Operacional SAR (Busca e Salvamento)

            VI – PO REVO – Piloto Operacional REVO (Reabastecimento em Vôo)

            VII – PO ANTARTIDA – Piloto Operacional ANTARTIDA (Missões na Antártida)

            VIII – PI – Piloto Instrutor TAL e TAET.

            IX – PI SAR – Piloto Instrutor SAR

            X – PI REVO – Piloto Instrutor REVO

            XI – PI ANTARTIDA – Piloto Instrutor ANTARTIDA

            XII – PM (Piloto Master)

Art. 41 - Poderá haver exceções de um piloto ingressar direto com patente superior à Cadete caso já tenha voado a aeronave C-130 Hercules ou outra aeronave multi-motor, mas somente com a autorização do Conselho Operacional. Não necessariamente ter que cumprir os requisitos de tempo de serviço ou horas de voo estabelecidos a seguir.

Art. 42 - As promoções deverão seguir as datas estabelecidas abaixo como requisito atingir as horas de vôo estabelecidas para cada patente ou por tempo de serviço.

            I - 31 de Março

            II - 31 de Maio

            III - 31 de Agosto

            IV - 31 de Novembro

            V - 20 de Dezembro

Art. 43 - Cadete

            I - Patente do piloto ao ingressar no esquadrão.

            II - Deverá permanecer 30 dias para instrução teórica e básica de vôo.

Art. 44 - Aspirante

            I - Deverá permanecer 1 mês na patente anterior.

            II - Deverá possuir mais de 10 horas de vôo totais.

Art. 45 - 2º Tenente

            I - Deverá permanecer 3 meses na patente anterior.

            II - Deverá possuir mais de 50 horas de vôo totais.

Art. 46 - 1º Tenente

            I - Deverá permanecer 4 meses na patente anterior.

            II - Deverá possuir mais de 100 horas de vôo totais.

Art. 47 - Capitão

            I - Deverá permanecer 8 meses na patente anterior.

            II - Deverá possuir mais de 200 horas de vôo totais.

Art. 48 - Major

            I - Deverá permanecer 10 meses na patente anterior.

            II - Deverá possuir mais de 300 horas de vôo totais.

Art. 49 - Tenente-Coronel

            I - Deverá permanecer 12 meses na patente anterior.

            II - Deverá possuir mais de 400 horas de vôo totais.

Art. 50 - Coronel

            I - Deverá permanecer 12 meses na patente anterior.

            II - Deverá possuir mais de 500 horas de vôo totais.

Art. 51 - Brigadeiro do Ar

            I - Deverá permanecer 12 meses na patente anterior.

            II - Deverá possuir mais de 650 horas de vôo totais.

Art. 52 - Major Brigadeiro do Ar

            I - Deverá permanecer 24 meses na patente anterior.

            II - Deverá possuir mais de 850 horas de vôo totais.

Art. 53 - Tenente Brigadeiro do Ar

            I - Deverá permanecer 24 meses na patente anterior.

            II - Deverá possuir mais de 1100 horas de vôo totais.

Art. 54 - Marechal do Ar

            I - Deverá permanecer 96 meses na patente anterior.

            II - Deverá possuir mais de 3000 horas de vôo totais.

 

CAPÍTULO VII

Formação Operacional

 

Art. 55 - O piloto é responsável por seu crescimento operacional e deve ser um objetivo permanente. O 1º GTT Virtual realizará manobras para manutenção operacional e o fornecimento de manuais, NOTAMs e documentos informativos para sua qualificação.

Art. 56 - Os Pilotos considerados como Pilotos do Efetivo, deverão tomar ciência de todos os Manuais e Tutoriais presentes no Setor de Instrução e do Manual do Aspirante – C-130 Hercules Captain Sim.

Art. 57 - Os treinamentos locais na aeronave C-130 Hercules deverão ser realizados em SBAF (Base Aérea dos Afonsos) e/ou SBSC (Base Aérea de Santa Cruz) e os treinamentos em rota deverão ser designado pelo Instrutor.

Art. 58 - As O.I. (Ordens de Instrução) deverão ser realizadas utilizando o VAM / SIMACARS, podendo ser on-line ou off-line de acordo com a Ficha de Instrução, sendo o piloto obrigado a seguir e respeitar os regulamentos estabelecidos pelas redes online virtuais IVAO ou VATSIM.

Art. 59 - Para formação básica na aeronave C-130 Hercules (Piloto Básico) o piloto deverá realizar com aproveitamento satisfatório 10 (dez) O.I. (Ordem de Instrução).

Art. 60 - Para formação de Piloto Operacional em TAL – (Transporte Aéreo Logístico) na aeronave C-130 Hercules o piloto deverá realizar com aproveitamento satisfatório 08 (oito) O.I. (Ordem de Instrução).

Art. 61 - Para formação de Piloto Operacional em TAET – (Transporte Aero Terrestre)  na aeronave C-130 Hercules o piloto deverá realizar com aproveitamento satisfatório 11 (onze) O.I. (Ordem de Instrução).

Art. 62 - Para formação de Piloto Operacional em SAR – (Busca e Salvamento) na aeronave C-130 Hercules o piloto deverá realizar com aproveitamento satisfatório 05 O.I. (Ordem de Instrução).

Art. 63 - Para formação de Piloto Operacional REVO (Reabastecimento em Vôo) na aeronave C-130 Hercules o piloto deverá realizar com aproveitamento satisfatório 03 O.I. (Ordem de Instrução).

Art. 64 - Para formação de Piloto Operacional ANTARTIDA na aeronave C-130 Hercules o piloto deverá realizar com aproveitamento satisfatório 04 O.I. (Ordem de Instrução).

Art. 65 - Para formação de Piloto Líder de Elemento, Líder de Seção e Líder de Série na aeronave C-130 Hercules o piloto deverá realizar com aproveitamento satisfatório 06 (seis) O.I. (Ordem de Instrução).

Art. 66 - Para formação de Piloto Instrutor em TAL – (Transporte Aéreo Logístico) na aeronave C-130 Hercules o piloto deverá realizar com aproveitamento satisfatório 02 (duas) O.I. (Ordem de Instrução).

Art. 67 - Para formação de Piloto Instrutor em TAET – (Transporte Aero Terrestre) o piloto deverá realizar com aproveitamento satisfatório 02 (duas) O.I. (Ordem de Instrução).

Art. 68 - Para formação de Piloto Instrutor em SAR – (Busca e Salvamento) na aeronave C-130 Hercules o piloto deverá realizar com aproveitamento satisfatório 02 (duas) O.I. (Ordem de Instrução).

Art. 69 - Para formação de Piloto Instrutor REVO – (Reabastecimento em Vôo) na aeronave C-130 Hercules o piloto deverá realizar com aproveitamento satisfatório 02 (duas) O.I. (Ordem de Instrução).

Art. 70 - Para formação Piloto Instrutor ANTARTIDA na aeronave C-130 Hercules o piloto deverá realizar com aproveitamento satisfatório 02 (duas) O.I. (Ordem de Instrução).

Art. 71 - Para formação Piloto instrutor Líder de Elemento, Líder de Seção e Líder de Série  na aeronave C-130 Hercules o piloto deverá realizar com aproveitamento satisfatório 03 (três) O.I. (Ordem de Instrução).

Art. 72 - PM (Piloto Master) na aeronave C-130 Hercules o piloto deverá ter realizado com aproveitamento satisfatório todas as formações operacionais e de instrutores.

 

CAPÍTULO VIII

Operações de Vôo

 

Art. 73 - Nossa frota é composta de 21 aeronaves C-130 Hercules de matrícula FABXXXX a seguir: 2451, 2453, 2455, 2456, 2458, 2459, 2461, 2462, 2463, 2464, 2465, 2466, 2467, 2471, 2472, 2473, 2474, 2475, 2476, 2477, 2478 e 2479.

Art. 74 - Todos os pilotos do 1º GTT Virtual quando em vôo oficial deverá utilizar o sistema VAM / SIMACARS para reserva de aeronave e manter o callsing de acordo com a aeronave  utilizada, e em vôos por redes online (IVAO ou VATSIM) devendo obrigatoriamente informar no campo REMARK do plano de vôo: OPR/GTT VIRTUAL.

Art. 75 - Vôo Local - Considerado vôo local todo vôo ou operação no mesmo aeródromo, podendo ser on-line ou off-line, utilizando o sistema SIM / ACARS para validação do vôo.

Art. 76 - Vôo em Rota - Considerado vôo em rota todo vôo acima de 30 minutos de vôo da origem, podendo ser on-line ou off-line, utilizando o sistema SIM / ACARS para validação do vôo.

Art. 77 - Vôo de Instrução - Considerado vôo de instrução todo vôo que esteja sendo realizado através de uma O.I. (Ordem de Instrução), deverão ser on-line ou off-line, de acordo com a Ficha de Instrução sendo o piloto obrigado a seguir e respeitar os regulamentos estabelecidos pelas redes virtuais IVAO ou VATSIM em caso de voo on-line e utilizar o sistema SIM / ACARS para validação do vôo.

Art. 78 - Manobras - Todo mês haverá manobras, visando a operacionalidade dos pilotos. É uma das atividades mais divertidas do Esquadrão. Esse tipo de missão será definido pelo Oficial de Operações anualmente e confirmada no mês anterior em que a Manobra se realizará. Deverão ser on-line, sendo o piloto obrigado a seguir e respeitar os regulamentos estabelecidos pelas redes virtuais IVAO ou VATSIM, utilizando o sistema SIM / ACARS para validação do vôo.

Art. 79 - Os tipos de Manobras e Missões podem ser:

I - Manobra de Formação Básica

II - Manobra de Formação Operacional.

III - Manobra de Formação Operacional Específico.

IV - Manobra de Formação de Instrutores.

V - Manobras Conjuntas.

Art. 80 - O sistema de reporte de vôos escolhido pelo 1º GTT Virtual é o SIM / ACARS. A reserva de vôos executados pelo piloto não poderá ultrapassar 60 (sessenta) minutos anteriores ao horário do vôo. Tal procedimento visa liberar, o maior número de aeronaves possíveis para os pilotos. Caso haja algum problema no computador ou no simulador, dirija-se ao site, libere a aeronave e faça uma nova reserva para que o tempo de reserva seja novamente resetado.

 

CAPÍTULO IX

Código de Conduta

 

Art. 81 - Divulgar o 1º GTT Virtual e ajudar na ampliação do QTv (Quadro de Tripulantes Virtuais).

Art. 82 - O cadastro no 1º GTT Virtual e único e intransferível, o que significa que o piloto não poderá ter dois cadastros ou emprestar o seu a outra pessoa. Caso identificada tal ato o piloto terá uma punição GRAVISSIMA e sua exclusão ao QTv (Quadro de Tripulantes Virtuais).

Art. 83 - Problemas e conflitos devem ser direcionados apenas para o Conselho Operacional ou um de seus membros.

Art. 84 - Piloto do 1º GTT Virtual não discute no rádio, é polido, cordial, não fala alto no rádio, conhece os procedimentos, conhece o equipamento e é comprometido a sempre aprender. Para isso nossos Instrutores estarão à disposição para sempre fornecer o melhor no que se trata de Treinamento e Apoio.

Art. 85 - O descumprimento de qualquer regra supracitada neste código de conduta ou das regras da IVAO ou da VATSIM poderá resultar em punição. Todo piloto após ingresso no 1º GTT Virtual, tem um total de 10 pontos. Os membros que perderem todos esses 10 pontos dentro de um prazo de um ano, serão automaticamente excluídos pelo nosso sistema.

Art. 86 - Punições serão resetadas automaticamente no primeiro dia do ano vigente. Seguem abaixo as punições aplicáveis com anotação na ficha individual.

            I - LEVE - 1 ponto

            II - MEDIA - 2 pontos

            III - GRAVE - 3 pontos

            IV - GRAVISSIMA - 10 pontos                 

Art. 87 - Deverá ser convocada uma reunião com o Oficial de Pessoal e mais um membro do Conselho Operacional para defesa verbal, e após será averiguado qual será a punição a ser aplicada ou não.

Art. 88 - É de inteira responsabilidade do piloto o uso de programas de origem ilícitos. O 1º GTT Virtual não se responsabiliza por danos causados por programas de origem duvidosa, como software pirata ou baixados.

Art. 89 - Não existe limite máximo de vôos mensais. O tripulante se compromete em realizar ao menos 02 (dois) vôos em rota a cada 30 dias, tendo como conseqüência o não cumprimento desta norma:

            I - Após 30 dias inativos sem justificativa, o piloto se torna um Piloto Inativo do QTv (Quadro de Tripulantes Virtuais). Punição MÉDIA. Deverá realizar um vôo em rota (ida e volta) de check operacional.

            II - Após 60 dias inativos sem justificativa, o piloto se torna um Piloto Suspenso do QTv (Quadro de Tripulantes Virtuais). Punição GRAVE. Deverá realizar dois vôo em rota (ida e volta) de check operacional.

            III - Após 90 dias inativos sem justificativa, o piloto se torna um Piloto EXCLUÍDO do QTv (Quadro de Tripulantes Virtuais). Punição GRAVÍSSIMA.

Art. 90 - O membro ATIVO poderá solicitar 3 (três) afastamentos por ano de 30, 60 ou 90  dias. Uma vez solicitado o afastamento e computado no sistema, o mesmo será liberado novamente após o prazo estipulado ou por solicitação do mesmo. Para afastamentos superiores a esta data, deverá ser encaminhado ao Conselho Operacional para o julgamento.

Art. 91 - Proibido repassar a terceiros, informações privilegiadas, estratégicas ou confidenciais do Esquadrão que ainda não tenham se tornado públicas ou autorizadas pelo Conselho.

Art. 92 - Proibido emitir acusações falsas, adotar atitudes de forma preconceituosa e criar ambiente hostil dentro e/ou fora do Esquadrão.

Art. 93 - Proibido discriminar qualquer pessoa por cor, etnia, classe social, convicção política, naturalidade, sexo, identidade de gênero, orientação sexual, credo, religião, culto, idade, deficiência física ou menta, nível de escolaridade, nível hierárquico, cargo e função.

   

CAPÍTULO X

Final

 

Art. 94 - Para Formação Básica temos como fonte de consulta o Manual do Aspirante e Tutorial do C-130 Captainsim.

Art. 95 - Disponibilizamos no Setor de Instrução, diversos manuais para instrução Básica, Intermediária e Avançada.

Art. 96 - Para uso dos Instrutores, temos como fonte de consulta o Manual do Instrutor.

Art. 97 - Fins manter nossos serviços anuais de domínio e hospedagem, a arrecadação do 1º GTT Virtual poderá ser feita por meio de rateio de porcentagem entre os membros do Esquadrão, que será discutido em fórum confidencial.

Art. 98 - Todos os pilotos ativos concordam com este Manual Operacional assim devendo segui-los. Nenhum piloto poderá alegar desconhecimento de qualquer parte deste código.

Art. 99 - Este Manual Operacional deve ficar disponível online de forma que todos tenham acesso ao mesmo de forma facilitada.

Art. 100 - Este Manual Operacional em sua 7ª (sétima) Revisão entra em vigor no dia 02 de maio de 2017, aprovada pelo Comandante do 1º GTT Virtual, Leandro Rodrigues, de matricula GTT001.

 

 

Manual Operacional do 1º GTT Virtual

Revisão em Vigor -  7ª – 02/05/2017

Ten-Brig-Ar Leandro - Comandante do 1º GTT Virtual



Powered by Virtual Airlines Manager [v2.6.2]